Veneza: dicas para conhecer a cidade mais romântica do mundo

Veneza, na Itália, pode ser considerada a cidade mais romântica do mundo – ideal para se conhecer a dois. Ela é diferente de tudo o que você já viu na vida, estando sobre a água, cheia de prédios antigos, canais, gôndolas, becos, pombos, restaurantes, bares, lanchonetes, lojas, tudo isso formando uma imenso labirinto – onde não é difícil se perder.


É difícil encontrar palavras para descrever uma cidade tão única como Veneza. Não é a toa que ela é classificada como patrimônio cultural pela UNESCO. Ela é inconfundível, peculiar, riquíssima em história e transpira arte. Deve fazer parte de qualquer roteiro pela Itália.

 

Como chegar

Sendo uma das cidades turísticas mais famosas da Itália, é bem fácil chegar em Veneza. Pode-se optar pelo transporte aéreo, ônibus, barco, carro ou trem. Viajando dentro da Itália, a opção que talvez seja a mais conveniente é o trem. O trem é confortável e oferece a vantagem de poder descer já dentro da Veneza propriamente dita, enquanto que o aeroporto de Veneza fica em Treviso.

Se optar pelo trem, para chegar direto dentro de Veneza, compre a passagem para a estação Venezia Santa Lucia.

 

Onde ficar

Para que a sua experiência em Veneza seja completa opte por se hospedar dentro de Veneza. Embora a opções de acomodação não sejam muito baratas e os hotéis pareçam mal cuidados ou decadentes, vale muito a pena se hospedar por aqui. Hospedando-se em Veneza, você poderá sair a pé do hotel e explorar a cidade e quando cansar, procurar o caminho de volta para o hotel.


A cidade oferece muitas opções de acomodação, desde as mais baratas com banheiro compartilhado até opções mais luxuosas. Na hora de escolher seu hotel, pense também no deslocamento do seu ponto de chegada até o hotel. Leve em conta que poderá haver muitas pontes e escadas pelo caminho.

 

Uma opção para quem procura algo mais em conta ou um hotel, digamos, melhorzinho, é se hospedar em Mestre. Dê preferência para se hospedar perto da estação de trem Veneza Mestre, pois dali poderá ir de trem para Veneza sem dificuldades.

 
Explorando Veneza

Veneza é uma cidade para ser explorada com calma, sem preocupação com caminhos. Assim você descobrirá sua própria Veneza. É uma experiência única por Veneza se perder entre seus becos e vielas. De repente, você pode dar de cara com um importante monumento.

 

Curtir Veneza livremente é um dos passeios mais agradáveis que se pode fazer pela cidade. Não faltará opção para se alimentar ou fazer umas comprinhas durante o passeio.

Certamente sua caminhada o levará até o coração e a alma de Veneza, que é a Piazza de San Marco. Aqui se encontra a imponente e impressionante Basílica de San Marco e também milhares de pombos. A praça é muito linda e geralmente está sempre cheia de turistas e pombos durante o dia. À noite ela fica bem mais tranquila e também sem pombos.


A Basílica é muito bonita e a entrada é gratuita. Geralmente é preciso esperar na fila para entrar. A entrada do museu é paga e como estávamos com pouco tempo disponível, optamos por não conhecê-lo.

 

O Campanário di San Marco é uma das construções mais marcantes de Veneza. A torre tem quase 100 metros de altura e geralmente uma boa fila para subir (a entrada é paga).


Outra construção interessante localizada para Piazza de San Marco é a Torre dell’Orologio (Torre do Relógio). O relógio mostra o dia, as horas, as fases da lua e do zodíaco. Um homem mais velho e um mais novo batem as horas no sino – representando a passagem do tempo.


A ponte mais famosa de Veneza e a primeira a ligar as duas margens do Grande Canal é a Ponte Rialto. É muito bonita, mas infelizmente quando fomos estava em obras.

 
Passeio de Gôndola

O passeio mais famoso que se pode fazer em Veneza é o de gôndola. Centenas de gôndolas estarão à sua disposição estacionadas nos muitos canais da cidade. É só escolher uma e embarcar. O passeio pode ter 30 ou 45 minutos de duração, custando 60 e 80 euros, respectivamente.

 

Dicas
– Evitar o verão: entre julho e agosto os canais podem exalar um cheiro meio ruim, a temperatura elevada pode tornar meio desagradáveis as caminhadas e a cidade fica bastante cheia. Durante o inverno a cidade geralmente fica mais vazia.
– Ficar pelo menos três noites: é muito interessante se perder por Veneza, andar sem calma, sem mapa na mão procurando algum monumento. E para isso você precisará de tempo.
– Deixar as malas maiores na estação. A locomoção pela cidade, que é cheia de pontes e escadas, pode ser um tanto quanto difícil com malas grandes. Assim, uma boa opção é separar o essencial em uma mala pequena e guardar o resto na estação. Caso não queira deixar as malas na estação, poderá contratar um serviço de transporte de bagagens.
– Sair da multidão: a multidão se dirige rumo a Piazza San Marco pelas vias principais, o que pode tornar o passeio desagradável com tanta gente. Assim, optar por caminhos alternativos, fugindo da multidão, é uma boa escolha.
– Marés altas: não se assuste se passarelas começarem a ser montadas pela cidade e você ver a água invadindo as ruas e becos: é um espetáculo a parte. A cidade está preparada para isso e você poderá comprar uns sacos para proteger os pés e continuar o passeio pela cidade…

Deixar uma resposta